Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Reconhecimento facial em condomínios

Reconhecimento facial em condomínios

O reconhecimento facial nos condomínios vem ganhando espaço durante a pandemia, com intuito de oferecer mais segurança no controle de acesso.

As leitoras são instaladas nas entradas e saídas de pedestres, acesso de veículos e na área comum.

Além do equipamento de reconhecimento facial promover a segurança física, promovem também a sanitária.

Portanto, a liberação do acesso é sem contato, assim evitando contaminações e agilizando o processo.

Normalmente em condomínios, a biometria é uma das tecnologias mais utilizadas, mas que agora, com as recomendações da OMS e do novo normal, o ideal é optar por uma tecnologia mais segura e sem contato.

Neste artigo, vamos explicar como funciona a tecnologia de reconhecimento facial em condomínios.

 

O que é reconhecimento facial?

O reconhecimento facial é uma tecnologia que, com a ajuda da inteligência artificial, possibilitou a leitura de pontos nodais de uma face.

Pontos nodais são pontos que definem um rosto como único, tais como: distância entre os olhos, comprimento do nariz, tamanho do queixo, mandíbula.

Em seguida, a face é analisada com a foto armazenada no banco de dados para identificação.

 

Como funciona o controle de acesso com reconhecimento facial?

Primeiramente, para o condomínio aderir o reconhecimento facial, nenhuma mudança na estrutura será necessária.

A leitora só precisa de um ponto de Internet e de energia para seu funcionamento.

Após isso, é realizado o cadastramento das faces dos condôminos e funcionários no banco de dados para o sistema funcionar.

Todo o processo é realizado à distância. Ou seja, basta enviar uma foto de alta resolução para o cadastramento pela GSC que a implementação torna-se mais rápida.

A leitora também possui a tecnologia de reconhecer a pessoa mesmo com máscara de proteção. Ou seja, evita com que os condôminos retirem a máscara para poder se identificar.

Visto isso, a verificação acontece em milissegundos e previne fraudes, assim aumentando a segurança do condomínio.

 

Conforto

É dispensável o uso de chaves e tags para o acesso ao condomínio, facilitando a entrada dos condôminos. Então, caso a pessoa costuma perder objetos, com essa solução facilitará o processo.

 

Redução de custo

 Com o controle de acesso automatizado e com o reconhecimento facial ganhando mais espaço no mercado, o condomínio passa a não ter necessidade de porteiros em tempo integral.

 

Privacidade

A privacidade de dados é essencial nessa questão, portanto, todas as informações recolhidas são informadas e consentidas pelos condôminos.

Essas informações não serão compartilhadas com finalidades comerciais, somente de uso a autoridades.

 

Mais segurança

Com a entrada através de travas físicas com uso de chaves e tags, qualquer pessoa pode entrar no condomínio.

Com as leitoras faciais, além de ser um acesso mais seguro e único de moradores e funcionários, é possível limitar o acesso de terceiros ao condomínio.

Além disso, há registros de quem entrou e de quem saiu.

 

Outros benefícios do reconhecimento facial em condomínios

A tecnologia conta com a função de QR Code para acessos temporários e agendados. Isto é, ideal para prestadores de serviços e visitantes no local.

Cada código gerado é aleatório e de difícil violação. A pessoa poderá realizar o acesso com o código pelo próprio celular aproximando da leitora facial e sem contato com a superfície.

Cadastre-se para receber nossas atualizações.

Eu respeito a sua privacidade e nunca envio spam.

Deixe uma resposta