Segurança em hospitais – Como reforçar a segurança no hospital?

Segurança em hospitais – Como reforçar a segurança no hospital?

Segurança em hospitais

Para falar sobre segurança em hospitais e como reforçar a segurança no hospital, é preciso entender a parte estrutural da construção hospitalar, entre outros fatores, para identificar formas de evitar ações criminosas e manter um ambiente seguro. Entenda:

Hospitais possuem muitos “blocos”, são todos construídos pensando em facilitar o acesso através da integração de todos os ambientes. Assim, facilita o fluxo de movimentação de pacientes e internos.

O que ocorre é que, os “blocos” integrados também acabam por facilitar o acesso de pessoas não autorizadas, algo que deve ser fortemente evitado, para garantir a segurança de todos no local e do patrimônio.

Hoje, hospitais já são alvo de ações criminosas elaboradas para a pratica de furtos. Conheça essas ações.

Alvos de ações criminosas

Medicamentos – Medicações controladas, como psicotrópicos e de tratamentos de alto custo, como os de câncer, por exemplo, são alvos comuns. Outros itens como o botox e similares, também entram na lista.

Equipamentos médicos – Equipamentos hospitalares, especialmente os pequenos, são por muitas vezes furtados; tais como medidores de pressão, oxímetros, aparelhos de endoscopia, etc. É comum, em hospitais, não haver supervisão contínua em todos os “blocos”, o que facilita a ação de criminosos.

Pertences pessoais – Objetos de visitantes e pacientes, como bolsas, carteiras e celulares, também estão na mira dos furtos.

Maquinário hospitalar – Grandes equipamentos, normalmente, possuem altíssimos custos. Os criminosos, apesar de não furtarem esses equipamentos volumosos e pesados, furtam peças dessas máquinas. Mesmo uma única peça desfalcada pode acarretar em prejuízos enormes, aos usuários e aos cofres do hospital.

Bebês: Existe uma atenção extra para o controle de acessos na ala da maternidade hospitalar, exatamente porque podem ocorrer tentativas de furtos de bebês (sequestros).

Segurança geral – Muitas situações podem se reverter em atos de violência, por isso é importante existir o reforço de segurança no ambiente, interno e externo. Investir em segurança é uma forma de valorizar e proteger usuários e funcionários.

Soluções para a segurança em hospitais

A GSC recomenda que hospitais tenham dupla segurança, uma voltada para a ação em campo, por meio de funcionários locais, e outra focada no monitoramento de movimentações, e em soluções eletrônicas, para gerenciar e gravar acessos em tempo integral.

Reconhecimento Facial – Essa tecnologia já está presente no dia a dia. Leia o artigo aqui.

Pronto-Socorro e Recepção – Para alas hospitalares de grandes movimentações, como pronto socorro e recepção, recomenda-se a implantação de um sistema de reconhecimento e monitoramento eletrônico.

UTI e Internação – Para o acesso em áreas restritas, voltadas para o acesso de funcionários, recomenda-se soluções de controle de acesso, por meio de equipamentos que verificam a identidade do usuário, de forma higiênica e ágil, e permite o acesso.

Touchless – o leitor de biométrico ágil, higiênico e super seguro. –  Leia o artigo aqui. 

Farmácia Hospitalar e Equipamentos – Para a segurança de medicamentos e equipamentos, a solução é o monitoramento remoto e o controle de acesso, os dois em conjunto para uma segurança reforçada.

Segurança Geral – No mais, recomenda-se botões de pânico em pontos estratégicos e os serviços de monitoramento de lapso e alarmes de intrusão, para identificar e sinalizar ocorrências em todas as áreas estratégicas do hospital.

Por meio de inteligência artificial, reflexo da tecnologia e engenharia empregadas na segurança eletrônica, é possível ter um reconhecimento facial com rapidez e autonomia em ambientes amplos e movimentados.

A GSC possui soluções personalizadas para essas e outras necessidades hospitalares. Para mais informações, entre em contato.

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*